Why concerts matters…

From yesterday ahead, musicians depend on gigs and concerts for their popularity and revenue. Revenue comes with popularity and this depends on what people say about, talk about, post about, share about. Also on what they buy and, even more important, money spent in concerts and merchandising.
I never did saw as many recording devices in a concert as today. Of course that forever people brought recording devices, mostly to take pictures and store them at home. But today, countless mobile and smartphones recorded the best of a concert, in sound, pictures and videos that few minutes later were uploaded into social networks. Did it happen before? Not that I’m aware of. Coincidently or not, people will always remember those songs and perhaps those might even become people’s favourites. For instance… I assume not to be a U2 fan (don’t like enough to call myself a fan), but nevertheless, I love the more electronic period of their discography. Once, coincidence or not it corresponds to the only live concert I went of this band. Is there any relation? Most probably, since I still recall visual pieces of the show. Did it change my relation with the band? Not at the time, but quite certainly today it would, since I would record and post about it… Enviada do dispositivo sem fios BlackBerry®

1 comment
  1. Luís Filipe de Almeida said:

    Concordo acerca das transformações no mundo da música e nas novas exigências do publico fruto das novas tecnologias e da quantidade de informação/meios de divulgação existentes nos dias de hoje, seja pelas redes sociais (facebook, hi5, twitter) seja pelas aplicações existentes nos telemóveis que nos permitem mais que divulgar pela internet em tempo real partilhar com outras pessoas em tempo real (eu próprio já o fiz em concertos bastante recentemente). Esta nova geração na forma de comunicar levou a que se descobrissem novos talentos (que normalmente seriam “engolidos” pela industria da musica sem nunca atingirem qualquer tipo de notoriedade) o que forçou os músicos mais conhecidos (já com mercado na industria) não só a darem mais de si (talvez seja impressão minha mas hoje em dia vejo as bandas/músicos mais esforçados nos concertos, a agendarem mais datas, a fazerem mais tournées e acima de tudo a alterarem a sua maneira de estar/presença no palco, tornando-se cada vez mais acessíveis, quase passando uma sensação ao publico de “amizade”, como se as pessoas que assistem ao concerto podem-se tratar por “tu” aquela pessoa se se cruzassem com ela na rua. Mais ainda, a criação de páginas pessoais, blogs, tweeter, tudo isso quebrou “barreiras” e tornou as pessoas mais próximas, ou com essa sensação, dos seus ídolos e do seu dia-a-dia). No fundo os novos meios de partilha de informação deram um poder ao publico/pessoas sem precedentes levando a que os artistas tivessem que se adaptar ás exigências dos seus fãs e não o contrário como era de preceito antigamente onde os artistas podiam ser mais “egoístas” tendo a segurança que não iriam cair do pedestal . E se estas alterações surgiram de forma alucinante no mundo das artes até quando resistirão outras áreas como a política?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s