Since yesterday…

Depois de ontem, perante uma audiência que aparentemente valoriza mais uma comunicação em inglês e o trabalho desenvolvido fora de portas do que aquele que é feito por cá, considerando igualmente o número crescente de contactos anglo-saxónicos que referem a péssima qualidade da tradução instantânea, continuando, contudo, a ler este blog e referindo com grande alegria o facto da maior parte das notícias e links serem na língua inglesa, a partir de agora, o NetFM serve também como exercício de escrita na língua inglesa, aquela que invariavelmente é utilizada para as apresentações ou comunicações no estrangeiro, aquela que mais vezes é a fonte das informações aqui divulgadas, bem como a que permitirá a este blog ampliar o número de leitores, alguns dos quais, com esforço o acompanham, reconhecendo e valorizando o trabalho que representa.

By the way, vou manter a ferramenta de tradução, just in case, para os que não conseguem ler em inglês.

4 comments
  1. Eu consigo ler em inglês. Mas não quero! Porquê? simples! Estou em Portugal, que me interessa o que vai em Inglaterra ou nos Estados Unidos ou noutro qualquer país anglófono, que não tenha qualquer coisa a ver com Portugal?Porque tenho de eu, aqui, no meu país, escrever em inglês? Em Inglaterra, na Alemanha (oh, então aí…), na França, em Espanha, etc. escrevem em Português, mesmo quando o assunto é Portugal? Não creio. já estive na Alemanha e passei o cabo dos trabalhos para fazer qualquer coisa. Não falo alemão, mas faço-me entender bem em inglês e os alemães até percebiam inglês, mas respondiam em alemão ou faziam de conta. que não percebiam. Na Alemanha fala-se alemão e não outra língua, foi a explicação dada (exceptuo, aqui, Berlim, que toda a gente falava inglês). Já sei que o argumento é que o inglês é uma língua que o planeta todo fala e que é utilizado a nível científico, etc… Mas a percentagem de pessoas no mundo que fala inglês é, no máximo, 1/3. E o português é a sexta língua mais falada no mundo. os ingleses não percebem português? Usem a tradução que é o que eu faço para línguas que não entendo.

    Isto é uma mera opinião, mas se o assunto é português e para Portugal, então escreva-se em Português.

  2. Paula Cordeiro said:

    Toda a razão Jorge… Mas descobri que, afinal, ser homem e falar inglês é o que facilita… Mudar de sexo, não quero, mudar de língua… Menos mal.

    Não poderia estar mais de acordo consigo, mas vou dar o benefício da dúvida. Porque, depois do que ouvi (e não vou reproduzir), a decisão ficou tomada! Incrível, este Portugal, tão grande e, no fundo, tão pequenino, por valorizar demais o que se faz lá fora e de menos o que se faz por cá!

  3. radioman said:

    Hola cariño:
    Si me das la permisión, no estoy de acuerdo que escribas en inglés.
    Y sabes porqué? Porque por supuesto también debrías escribir en español quando hablas desde Madrid.
    Paula, cariño, deja te de ideas. Escribe y deja los otros traducir como quieran. Vale?
    Hasta pronto

  4. Paula,

    compreendo perfeitamente as duas argumentações, por isso sugeria que experimentasses fazer a coisa ao contrário: texto de base em português e link bem visível para a tradução em inglês.
    tenho a certeza que vais angariar muitos leitores “lá fora”, mas queres, por assim dizer, perder os da casa?

    bjs

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s