Comentário X – 5 de Junho

O conceito da Teoria da Espiral do Silêncio, surgiu em 1972 no vigésimo Congresso Internacional de Psicologia. A alemã Elisabeth Noelle- Neuman publicou nos Estados Unidos, um livro denominado por” A Espiral do Silêncio: Opinião Pública- A nossa pele social”.

Segundo a autora, esta teoria tem início/causa na relação que se estabelece diariamente, em todo o mundo, entre os Media e Opinião pública. Na maioria das vezes, para não se sofrer críticas, maus olhares e até mesmo outro tipo de isolamento (medo da solidão social), as pessoas sentem necessidade ou de omitir a sua própria opinião, pois não é concordante em relação à dos restantes; ou de, por outro lado, juntar-se à maioria falante, que dá sua opinião (podendo, então, esta ser novamente uma maioria falseada que não exprimiu a sua opinião verdadeira). Neste clima de opinião, muitas vezes são escondidos pareceres, pois os sujeitos tomam partido da convicção geral, perdendo-se, assim, a oportunidade de se descobrir novos ideais e formas de agir de uma maioria silenciosa, que poderia levar a uma mudança de hábitos e de formas de pensar. Tem-se então como exemplo flagrante, o fenómeno social: as eleições, onde o clima de opinião é condicionado pelo excesso de transmissão de determinados temas pelos Media; pela forma semelhante de como as notícias são geradas e difundidas tornando muito fácil de consolidar a vitória do candidato que supostamente será vencedor (manipula a opinião geral, gerando assim uma opinião pública distorcida).

Acima de tudo, este fenómeno é extremamente preocupante, não só pelo facto de se influenciar as mentes no que se deve pensar, mas mais ainda, pelo facto de se influenciar no que estas devem dizer.

Mariana da Cunha

Sara Batalha

Concordando com o comentário das minhas colegas, é de acrescentar que foi sim a Alemã Elisabeth Noelle-Neumann, quem nos anos 1970,desenvolveu essa teoria que defendia “O principio de que o que caracteriza o Individuo em toda a sociedade é o medo do isolamento”.

Em 1972 ela introduziu nos estudos da Comunicação a perspectiva da Espiral do Silêncio.

Sua pesquisa indicou que as pessoas são influenciadas não apenas pelo que as outras dizem mas pelo que as pessoas imaginam que os outros poderiam dizer. Ela sugeriu que, se um individuo imagina que a sua opinião poderia estar em minoria ou poderia ser recebida com desdém, essa pessoa estaria menos propensa a expressa-la”.

Esta é uma Teoria que diz que as pessoas procuram integrar-se socialmente através da opinião dos outros e procuram se expressar dentro de parâmetros da maioria para evitar o isolamento. Ou seja, procuram esconder a opinião contrária a da maioria para evitar a exclusão. Dificultando assim as mudanças e ajudando a manter o estado do momento.

Os meios de Comunicação tende a priorizar as opiniões dominantes, consolidando-as e ajudando a calar as minorias (na verdade, a maioria) isolada. Esse grupo silencioso não se expressa e nem são ouvidos pelas médias, distorcendo assim a opinião pública. Um caso clássico dessa distorção gerada pela”espiral do silêncio”pode ser verificado nas eleições. Muitos eleitores tendem a votar nos candidatos líderes de pesquisas pelo facto deles terem a preferência de um expressivo número de pessoas. Muitos votam mesmo sem gostarem ou com dúvidas da “legalidade”do candidato”.

Nelsa Lourenço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s