12 meses, 12 estações.

O NetFM começou por estudar a estação de rádio mais ouvida em Portugal, seguindo-se uma caracterização de uma peculiar estação que, a partir de Lisboa, consegue, na actualidade e através da Internet, ouvir-se em qualquer parte do mundo, trazendo um universo muito próprio para o panorama radiofónico. Segue-se uma breve análise de outra estação que lidera, desta feita entre as camadas mais jovens: Cidade FM.

Março

1000 Euros de Rádio (*)

 

O ímpeto das rádios piratas criou inúmeros projectos em todo o país, cuja expressão dominou a década de 1980. No rescaldo da legalização, sobraram algumas estações que ainda hoje dão cartas no contexto radiofónico local e mesmo, nacional.

Um desses exemplos é o da rádio Cidade, que começou as suas emissões em 1986 em 107.2 FM – Amadora. Foi posteriormente legalizada em 1989, continuando ainda hoje a emitir, apesar das várias alterações de que foi alvo. A primeira transformação ocorreu em 2002, com a mudança de propriedade e estilo de programação, caracterizado pelo abandono do sotaque brasileiro e locução dinâmica que notabilizaram a estação. No ano seguinte, a estação modificou a designação comercial para Cidade FM e, em 2004, ocorreu a mais recente transformação, com a mudança de frequência, decorrente da alteração do serviço de programas. Na mesma altura, legou a sua frequência para criação de uma nova estação e ocupou uma frequência com maior potência, no concelho de Lisboa.

No decurso da reorganização das frequências e serviços de programas das estações propriedade da Media Capital Rádio, operacionalizou-se uma troca de frequências entre a Cidade e a então existente, Foxx FM. Em 2005, o serviço de programas da Cidade FM, na frequência original do concelho da Amadora, em 107.2 FM, passou a denominar-se Foxx FM – actualmente a Romântica FM, com emissão também no Porto, em idêntica frequência. A Cidade FM, por sua vez, ocupou as antigas frequências da Voxx para o concelho de Lisboa, em 91.6 FM e Porto em 90.0 FM. O processo de reorganização de frequências da MCR resultou da extinção do projecto Voxx, estação que nasceu das cinzas da antiga XFM e, em 2005 a Côco – Companhia de Comunicação, alterou o serviço de programas da Voxx com emissão no concelho de Lisboa, em 91.6 FM, a favor do serviço de programas emitido pela Rádio Cidade – Produções Audiovisuais, correspondente à Cidade FM.

Como no passado, a Cidade FM é uma estação jovem, com um ritmo dinâmico de comunicação e música, que assenta nos principais sucessos do momento. O alvo dos estação situa-se entre os 17 e os 24 anos, embora as franjas de público revelem que atinge um público entre os 15 e os 24 anos, maioritariamente feminino, embora a diferença entre os dois sexos seja de 5%. É líder de audiências na faixa dos 15 aos 17 anos, sendo a 3ª mais ouvida no segmento 18 – 24 anos, factor que tem motivado a sua expansão ao nível da cobertura geográfica, ouvindo-se actualmente nos maiores centros urbanos, a saber, Grande Porto, Grande Lisboa, Alentejo, Ribatejo, Região de Coimbra, Algarve e Braga.

Com uma equipa jovem que, mais do radialistas, se assume como uma equipa de comunicadores, as figuras da Cidade FM assumem a sua personalidade em antena, partilhando um pouco de si, do seu mundo e da sua criatividade com quem está do lado de lá do microfone. Estabelecem uma ligação contínua à audiência e fazem-na participar desse contexto semi-individual criado por cada um deles, como se falassem pessoalmente com cada um dos ouvintes. Música à parte, esta é, no fundo, a essência da rádio: a comunicação e, talvez por isso, a estação tenha tão rapida e facilmente atingido a liderança, conseguindo mantê-la num segmento volátil e difícil de agradar.

No que respeita à música, os sucessos são garantidos, dentro dos géneros e estilos que a moda e as tendências musicais vão ditando, verificando-se a necessária rotação e, em alguns casos, repetição que é inerente a este formato. Como explica a própria MCR, a música da Cidade FM é testada junto do público-alvo, com o objectivo de maximizar a eficácia da comunicação, usando o método comprovado de encadeamento das canções: as novidades ocupam 25%, os êxitos 45% e os êxitos mais recentes 30%. No campo da interactividade, verifica-se de facto que esta é estimulada, com espaço à participação do ouvinte, com diferentes moldes e em diferentes programas, passatempos e espaços da programação., situando, na Internet, o futuro da interactividade pela forma como o website da estação tende a assumir-se como uma plataforma de comunicação que liga indubitavelmente o contexto FM ao contexto web.

Como em outros projectos de rádio desta natureza, falta apenas estimular a cidadania e a participação cívica dos jovens, fornecendo-lhes as ferramentas necessárias para melhor compreenderem o mundo, no que respeita à política, economia, relações internacionais, Europa e cultura, mas, contudo, trata-se de um projecto de carácter comercial cujo principal objectivo passar por fazer cumprir uma das funções dos media e, naturalmente, da rádio: entreter o público. E isso, consegue sem dúvida fazer, atingindo mesmo uma audiência mais vasta, que ultrapassa as idades referidas nas medidas de audiência. É apenas uma observação empírica, de conversas com ouvintes não entrevistados pela Marktest e da música que se escuta nos carros que circulam de janela aberta…

 

 

 (*)  Passatempo que esteve em curso na Cidade FM.

1 comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s