Rentrée radiofónica

A partir de Setembro, as estações de rádio tendem a fazer ajustes na programação, a reorganizar a grelha e, em alguns casos, a delinear uma nova grelha de programas que  ficará no ar até ao Verão seguinte. No geral, notam-se ajustes e apostas nas estações nacionais, embora não se tenha verificado nenhuma grande novidade. Deixaram-me o desafio de ouvir e comentar a nova grelha da Antena 3 e já ouvi igualmente comentários que apontam em outras direcções. Na verdade, tenho escutado várias estações sem que nenhuma me surpreenda.

As manhãs da Antena 3 têm um elemento novo. Não se nota ainda, uma frescura adicional do pela nova presença feminina, que está já integrada na equipa mas não consegue disfarçar o cansaço dos restantes elementos. As manhãs da 3, estão, nesta altura, pouco interessantes, centrando-se em torno do humor característico de Nuno Markl e da apatia de José Mariño que conduz a manhã sem energia. A mais recente aquisição situa-se entre estes dois pólos, procurando criar uma figura própria, que corresponde à sua postura pessoal, pela forma como fala ou brinca com algumas situações. Menos mal, mas está ainda muito dependente das deixas que os elementos masculinos lhe dão, intervindo pouco e mantendo-se à sombra de Markl e Mariño. Há ainda as reportagens de Ana Galvão, um verdadeiro desperdício, para um elemento capaz de impor vitalidade às manhãs ou qualquer outro espaço em antena.

Ao fim do dia, destacam-se as mudanças na programação que denotam uma inversão nos objectivos e uma tentativa de agradar a públicos muito diferenciados, perdendo-se em boa medida a identidade da estação. Os “Bons Rapazes” afirmam-se novamente no éter diariamente, mas apontam ao envelhecimento do público da Antena 3, da mesma forma que, à Sexta-Feira Ana Bola, em amena cavaqueira com “Teggy” (como foi carinhosamente apelidada Teresa Caeiro) e moderada por Mónica Mendes, aponta a um público acima do alvo definido para a estação.

Na TSF destacam-se novos espaços de humor, maior importância ao desporto e um programa de grande entrevista com João Marcelino e António Fragoso, cujos temas, de grande actualidade, vão da “economia à política, do desporto à sociedade”, como se descreveu no DN (02.10.07).

Na Comercial, Pedro Ribeiro passou a ter companhia nas manhãs: Vasco Palmeirim e Vanda Miranda adoptaram uma postura semelhante à de Pedro Ribeiro embora, como na Antena 3, a equipa necessite de aperfeiçoar a relação que pretendem estabelecer e transmitir para o público.

1 comment
  1. vitoscano said:

    O problema da Antena3 é mesmo esse andar á procura de um público que não é o seu, levando isso a que o habitual se possa ir embora.É como eu digo a emissão das sextas apartir das 17h não visa o público jovem original da Antena3, procura algo que não se define bem o que a pode a longo prazo vir a tramar(não sou contra programas de conversa gosto da Prova Oral). E concordo consigo a Ana Galvão é uma das melhores apresentadoras da actualidade e devia ter mais lugar na programção e não só aquilo de manhã talvez no horário da Lamy ou no da Catarina Limão que ainda esta muito verde(mas ela tem apenas 1 ano e pouco disto não a podemos criticar ainda muito).
    A Vanda Miranda de manhã é tambem um pouco um desperdicio pois ela é talvez a melhor voz feminina da comercial rivalisa muito com a Ana Isabel Arroja e o joão Vaz não puxa tanto pelo horário em parte antigamente preenchido pela Vanda. E continua ser uma pena das grandes não ter o Antonio Sergio no Ar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s